Site da Inforpress – Timor-Leste vai criar Agência de Desenvolvimento para marcar presença na Guiné-Bissau

Timor-Leste vai criar Agência de Desenvolvimento para marcar presença na Guiné-Bissau

2013-01-08 12:19:21

Díli, 08 Jan (Inforpress) – O primeiro-ministro de Timor-Leste, Xanana Gusmão, disse hoje que o Governo timorense vai criar uma Agência de Desenvolvimento para marcar presença na Guiné-Bissau e ajudar a ultrapassar as crises cíclicas que têm assolado aquele país.

“Nós, num desejo de contribuir melhor, tentamos assomar-nos um bocado mais, independentemente daquilo que a ONU e a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) vão fazer, e vamos criar uma Agência de Desenvolvimento”, afirmou Xanana Gusmão.

O primeiro-ministro falava aos jornalistas no final de um encontro de quase três horas com o Presidente de Timor-Leste, Taur Matan Ruak.

Segundo Xanana Gusmão, a Agência de Desenvolvimento vai estar focada na boa governação e na prevenção e gestão de crises e será constituída por um grupo de pessoas que possa “encetar diálogo e transmitir as experiências timorenses”.

“Passámos também por esses momentos de crise e se tivermos ali pessoas habilitadas a transmitir as nossas experiências aos nossos irmãos guineenses, podemos ajudar de uma forma muito mais suave, de irmão para irmão”, afirmou.

O primeiro-ministro explicou que a criação da Agência de Desenvolvimento foi sugerida pelo Presidente Taur Matan Ruak e vai ainda ser discutida no Parlamento para ser uma iniciativa do Estado timorense.

“Nós compreendemos que a CPLP quando for (para a Guiné-Bissau) terá que ir como uma política de toda a comunidade e não gostaríamos de neste contacto com os irmãos timorenses ofender uma política coletiva e ficarmos inibidos a falar das nossas experiências e por isso é que vamos marcar uma presença simples, muito pequena, e sempre com o pensamento de que os guineenses precisam de refletir muito e nós podemos ajudar nesse sentido”, acrescentou.

A CPLP, organização a que Timor-Leste pertence, não reconhece as autoridades transitórias da Guiné-Bissau, no poder desde abril de 2012 na sequência de um golpe de Estado.

A decisão das autoridades timorenses ocorre depois de o antigo Presidente do país José Ramos-Horta ter sido nomeado representante do secretário-geral da ONU para a Guiné-Bissau.

A Guiné-Bissau, país da África Ocidental e antiga colónia portuguesa, tem vivido momentos de instabilidade cíclicos, o último dos quais em abril de 2012.

A 12 de abril, na véspera do início da segunda volta para as eleições presidenciais da Guiné-Bissau, na sequência da morte por doença do Presidente Malam Bacai Sanhá, os militares derrubaram o Governo e o Presidente interino.

A Guiné-Bissau está a ser administrada por um Governo de transição, apoiado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), que pretende realizar eleições no país em abril deste ano.

Inforpress/Lusa

via Site da Inforpress – Timor-Leste vai criar Agência de Desenvolvimento para marcar presença na Guiné-Bissau.

Deixe aqui o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s