Angola Press – África – Colóquio sobre segurança e estabilidade assinala dia da independência

Colóquio sobre segurança e estabilidade assinala dia da independência

Bissau  – A segurança e a estabilidade na Guiné-Bissau vão juntar no sábado políticos, académicos e militares em Bissau, num colóquio organizado para assinalar os 39 anos da independência do país.

 

A Guiné-Bissau proclamou unilateralmente a independência de Portugal a 24 de Setembro de 1973, faz na próxima semana 39 anos.

 

A data, feriado, será assinalada em Bissau com várias iniciativas, nomeadamente uma parada militar, e já no próximo sábado o colóquio junta elementos do governo de transição, o Presidente da República de Transição e académicos, de acordo com Bacar Camará, o promotor da iniciativa.

 

 

Além de Serifo Nhamadjo, Presidente de transição, deverão participar, entre outros, Daba Na Walna, professor e o militar que foi porta-voz do comando que fez golpe de Estado na Guiné-Bissau a 12 de abril passado, Fernando Vaz, ministro da Presidência e porta-voz do Governo de transição, e Hermínio Joaquim de Matos, professor do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, de Lisboa.

Os dirigentes dos principais partidos e a sociedade civil também estão convidados, disse Bacar Camará à Lusa, também ele licenciado pelo instituto lisboeta. “Não excluímos nenhuma formação política porque caso contrário não seria um colóquio nacional mas sim uma reunião partidária”, salientou.

 

Vão debater-se as dinâmicas migratórias, o impacto da comunicação social no processo de consolidação da paz e democracia na Guiné-Bissau, e a segurança nos dias de hoje “mas sempre a pensar na paz e estabilidade, rumo ao desenvolvimento”,  explicou.

 

“Precisamos de falar abertamente, não adiar soluções nem problemas e o colóquio faz parte disto, disse o responsável, explicando que a iniciativa já tinha estado agendada para Março passado, pelo que está em preparação “há quase um ano”.

 

De acordo com o programa, o colóquio destina-se a “provocar um debate nacional” que leve a um “pacto nacional de estabilidade para o desenvolvimento”, criar condições para executar reformas vitais para o funcionamento regular das instituições, e promover o sentimento de segurança e cultura de paz, permitindo o investimento estrangeiro.

 

Bacar Camará lembrou que o mês de Setembro “toca muito aos guineenses”, porque é o mês da independência, mas também em que nasceu Amílcar Cabral, o fundador do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde), partido que também foi criado em Setembro.

 

Para assinalar a data da independência, devia realizar-se também uma conferência sobre a diáspora guineense, mas que foi adiada para Outubro.

A conferência já tinha sido agendada para Janeiro passado, mas acabou por não se realizar devido à morte do Presidente da República, Malam Bacai Sanhá.

 

A morte do Presidente eleito levou a eleições presidenciais antecipadas, tendo Raimundo Pereira, presidente da Assembleia Nacional, assumido a Presidência, de acordo com a lei. O Primeiro-ministro eleito, Carlos Gomes Júnior, e o líder da oposição, Kumba Ialá, deviam disputar a segunda volta mas o golpe de Estado de 12 de Abril interrompeu o processo.

 

Um Governo de transição dirige o país, mas o mesmo não é reconhecido por grande parte da comunidade internacional.

via Angola Press – África – Colóquio sobre segurança e estabilidade assinala dia da independência.

Deixe aqui o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s