Modelos para resolução da crise “não são efetivamente aplicáveis e funcionais”, diz diplomata – Notícias – Sapo Notícias

Maputo, 06 set (Lusa) – O ex-representante da ONU na Guiné-Bissau João Bernardo Honwana considera que os modelos adotados pela comunidade internacional para resolver a crise guineense “não são efetivamente aplicáveis e funcionais” para a situação que se vive naquele país africano.

O moçambicano João Bernardo Honwana, atual diretor da segunda Divisão de África do Departamento dos Assuntos Políticos da ONU, integra uma missão conjunta das Nações Unidas e da União Africana, que hoje apelou ao Presidente moçambicano, Armando Guebuza, para encontrar uma saída para a situação sociopolítica na Guiné-Bissau.

Falando na quarta-feira numa palestra no Instituto Internacional de Relações Internacionais de Moçambique, João Bernardo Honwana assinalou que “a comunidade internacional ainda não foi capaz, até aqui, de fazer aceitar à massa pensante guineense os valores da paz e da democracia, diferentemente do caso moçambicano, por exemplo”, após o acordo geral de paz em 1992.

“Não há soluções fáceis para um problema como a Guiné-Bissau”, disse o diretor da segunda Divisão de África do Departamento dos Assuntos Políticos da ONU, citado pelo jornal Notícias de Maputo.

Hoje, a missão conjunta da ONU e da União Africana, liderada pelo atual representante das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Joseph Mutaboba, reuniu-se com Armando Guebuza, presidente em exercício da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Falando na qualidade de porta-voz, João Bernardo Honwana disse que Moçambique foi uma das etapas das consultas que a missão está a realizar na CPLP, que continua a reconhecer o Governo deposto no golpe de Estado de abril, e na Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), que defende o Governo de transição na Guiné-Bissau.

“O ponto de situação atual neste momento é que o país está praticamente paralisado. Existe um Governo de transição cuja capacidade operacional é bastante reduzida”, disse.

O diplomata assinalou que o Presidente moçambicano deu “vários pontos de vista de vários aspetos da crise na Guiné-Bissau” e encorajou a missão a continuar a trabalhar para a busca de consenso.

“A solução do problema da Guiné-Bissau terá que vir dos próprios guineenses e a comunidade internacional tem um papel importante de apoio, de aconselhamento de procurar utilizar experiências adquiridas noutros contextos para que se encontre uma solução durável e viável, uma solução que permite o país avançar”, afirmou, no entanto, Honwana.

MMT.

Lusa/Fim

via Modelos para resolução da crise “não são efetivamente aplicáveis e funcionais”, diz diplomata – Notícias – Sapo Notícias.

Deixe aqui o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s