Porta-voz do PRID exige explicação sobre paradeiro do deputado Roberto Ferreira Cacheu

Bissau, 17.07.2012 (Fonte: Rádio Bombolom-FM) – O porta-voz do PRID exigiu quarta-feira uma explicação sobre o paradeiro do deputado Roberto Ferreira Cacheu.

Em conferência de imprensa na sede nacional desta terceira formação política do país, Marciano Indi exortou o PRT para usar da sua influência junto ao Ministério Público a fim de acelerar o andamento dos inquéritos sobre os assassinatos ocorridos em 2009.

“Ao PR para usar da sua influência  enquanto o primeiro magistrado da nação no sentido de a procuradoria geral da república continuar com inquérito rápido, para se poder responsabilizar aqueles criminosos que mataram os nossos irmãos em 2009 até 2012″.

“Muitas pessoas perderam a vida. Se formos enumerá-las todas, veremos que elas ultrapassam 20, a contar do PR, o CEMGFA da Guiné Bissau, que perderam a vida sem justificação, devido à maldade de um grupo de pessoas”, avançou.

“Ainda, no caso mais agravante, do deputado Roberto Ferreira Cacheu, que continua desaparecido sem que se saiba do seu paradeiro nem para onde ele se foi”, referiu.

“O governo de Carlos Gomes Jr. e alguns membros do que continuam cá em Bissau e outros lá fora, que se agarraram à CPLP para criar problema e a querer suscitar a instabilidade, a eles nós perguntamos – aonde está o nosso irmão Roberto Ferreira Cacheu”.

Marciano Indi acusou igualmente a CPLP de estar a tentar, a todo o custo, desestabilizar o país e desejou que o governo defina estratégias de relacionamento com algumas organizações parceiras da Guiné Bissau.

“Nós queremos que o governo defina claramente a política externa de certas organizações, caso da CPLP, que tem estado a fazer, a todo o custo, a tentar a desestabilizar a Guiné Bissau. A CPLP quer criar problemas na Guiné, só que não sabemos em troca de quê e para o quê. Por que, não estou a ver uma organização responsável, reconhecida internacionalmente como é caso da CPLP a querer defender uma pessoa pondo em causa uma população inteira”, sublinhou Indi.

Nota do Editor: Ainda sobre o caso de Roberto Cacheu, o site didinho.org acaba de noticiar o “assassinato” de tal Deputado. De acordo com o fundador e o editor desse site, Fernando Casimiro “Didinho”, Roberto Cacheu foi “queimado vivo” por ordem do ex-primeiro-ministro, Carlos Gomes Jr.

A GBissau.com não está em condições de averiguar a veracidade destas acusações, mas sente-se obrigada a informar os seus leitores sobre o assunto.

Eis o texto do didinho.org:

Acabo de receber, de fontes fidedignas, a partir de Bissau, a triste notícia de que o cidadão nacional, dirigente do PAIGC, ex-governante e deputado da Nação, Roberto Ferreira Cacheu, foi assassinado (queimado vivo) por ordem do ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, depois de ter sido detido na zona sul, em fuga para atravessar a fronteira, visto ter sido referenciado como cabecilha da alegada tentativa de golpe de Estado de 26 de Dezembro de 2011 na Guiné-Bissau, que resultou igualmente no assassinato, a sangue frio, do Major Iaia Dabó. Didinho 18.07.2012

via Porta-voz do PRID exige explicação sobre paradeiro do deputado Roberto Ferreira Cacheu.

Deixe aqui o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s